fbpx

Ter uma boa estratégia digital é o que fará sua empresa sobreviver e lucrar na retomada da economia depois da pandemia. Gostaria de começar este texto pontuando algo muito importante: não seremos os mesmos depois do Covid-19. Nossos hábitos de consumo, nossas relações pessoais e nossas prioridades enquanto pessoas, mudarão. E é por isso que você precisa urgentemente mudar de estratégia para conseguir ter relevância neste mundo novo que nos espera à frente. 

Não entraremos nas particularidades de como o mundo será melhor ou pior para a economia ou para o seu negócio, mas precisamos compreender que:

  • Muitas pessoas passarão a optar por experiências que evitem aglomerações, ainda que seja por um período curto de tempo. Então, eventos gigantes, baladas, shows, shoppings lotados, etc, terão um impacto muito maior em suas atividades; 
  • Segundo uma pesquisa feita pela Hibou – Monitoramento de Marca e Consumo, antes do coronavírus, 46% dos clientes iam até a empresa para comprar ou consumir seus produtos e serviços, e 74% das empresas não conseguem entregar suas soluções através de formatos como delivery, pickup ou entrega digital. 

Por esse motivo, o impacto na economia pode ser muito grande, se os modelos de negócio não se estruturarem para mudar este cenário. E é sobre este assunto que quero abordar no post de hoje: qual plano de ação você pode colocar em prática para retomar suas atividades depois da pandemia (ou até durante ela)?

O seu consumidor já mudou

É importante que você desapegue das certezas que tinha antes do coronavírus sobre o comportamento do seu consumidor: ele já não será mais o mesmo! Então, o primeiro passo é descobrir, dentro da sua cidade – caso seu negócio seja físico – o que está mudando no comportamento dele. Se não existe nenhuma pesquisa pronta, faça a sua:

1 ) Crie uma lista de perguntas que você precisa compreender sobre os hábitos de consumo do seu cliente. Veja em pesquisas feitas em âmbito nacional (como as sugestões aqui) e tente replicá-las para o seu cenário local. 

2 ) Coloque essas perguntas em um formulário, como o Google Docs, por exemplo. Envie para seus clientes e pessoas que são potenciais clientes pelo whatsapp ou por e-mail. Aproveite para expor a realidade do seu negócio e explicar que está procurando entender qual a melhor forma de continuar ofertando produtos/serviços de valor para o seu cliente.

3 ) Respeite as respostas coletadas. A parte mais difícil é desapegar das certezas que você possuía sobre o seu negócio, sobre a sua solução e repensar tudo novamente. Mas talvez seja necessário. 

Redesenhe seus processos e soluções

Talvez, com as respostas dos seus clientes, você entenda que é hora de mudar. Sair de um ponto fixo e passar a fazer vendas online, por exemplo. Entregar um serviço diferente, mais barato, que tenha relação com o que você fazia antes, mas com potencial de escala maior. Por exemplo:

  • Um salão de cabeleireiro pode passar a vender parte dos produtos que são utilizados em seus serviços, como cremes especiais para cabelo, esmaltes, ou até mesmo tinta para pintar o cabelo em casa seguindo instruções da própria cabeleireira.
  • Uma nutricionista pode passar a preparar refeições e mediar a entrega de frutas ou hortaliças frescas para seus clientes, seguindo a sua orientação nutricional.
  • Empresas do segmento de imóveis e decoração podem investir em versões 3D, entregas de amostras de revestimentos, de tintas, aplicativos que usam a realidade virtual/aumentada para mostrar aos seus clientes o que eles só conseguiriam ver pessoalmente.

Organize seus dados

Tenho certeza que em algum momento você já captou o e-mail ou o telefone dos seus clientes, não? Provavelmente preencheu algum cadastro no sistema, alguma ficha, alguma lista… mas muitas empresas nunca observaram esses dados como algo valioso para elas, e agora não têm a menor ideia de onde estão os seus clientes, e como contatá-los. Então, a dica que vem a seguir é para seguir algumas regras da Lei Geral de Proteção de Dados e começar a trabalhar com essas informações de uma forma muito clara com seus clientes:

  • Ao solicitar alguma informação de cadastro, deixe claro para seu cliente para quê pretende usar (para comunicar promoções, para oferecer a ele uma solução mais adequada para o seu perfil, etc). 
  • Nunca compre listas de contato ou troque suas listas com parceiros de negócio. Em vez disso, você pode optar por criar uma ação em união com seus parceiros, informar os contatos dessa parceria e que, a partir da interação de cada cliente com a ação, os dados poderão ser compartilhados.

Hoje, mais do que nunca, é importante respeitar seus clientes, que passam por momentos tão difíceis quanto você, e entender que o tempo e a atenção dos seus clientes podem ser mais importantes do que o quanto eles podem comprar agora com você. 

Open chat
Powered by