A Era da Curadoria e da Segmentação no Facebook

Sua caixa de entrada não será mais a mesma!
Receba os conteúdos mais recentes e fresquinhos da OCA Comunica, direto no seu e-mail

A missão do Facebook é “Dar às pessoas o poder de criar comunidades e aproximar o mundo”. É com essa frase que eu gostaria de começar a explicar o porquê eu defendo que o futuro do Facebook está diretamente relacionado ao poder da curadoria que ele tem e terá cada vez mais daqui pra frente.

O Facebook já não é como era antes. Depois do queridinho Orkut – a última rede social amada por todos os brasileiros – hoje nos dividimos entre diversas redes sociais. Apesar de praticamente todo mundo manter suas contas no Facebook, já não as usamos como antes. 

Ao avaliar como usávamos o Facebook há sete, oito anos atrás, eu diria que era unânime: todos criavam conteúdo de uma mesma forma! Marcávamos pessoas para deixar recados (não havia mensagem inbox), fazíamos declarações públicas sobre assuntos que hoje são motivo para brigas e divisões, etc. Com o mundo mais polêmico e polarizado e um Facebook cheio de pessoas diferentes, ninguém mais fala o que quer (a não ser que queria perder família, clientes, amigos etc).

Hoje, a salvação do Facebook está nos grupos, também chamados de comunidades. Vários vídeos patrocinados e anúncios off-line divulgam as comunidades do Facebook, mostrando que ainda há espaço para você ser “você mesmo” no Facebook. É neste cenário que eu vou entrar na Era da Curadoria.

Experiências personalizadas

O estudo encomendado pelo Facebook mostrou que as pessoas esperam por experiências personalizadas, que não haja esforço para buscar o que cada indivíduo quer, mas que – cada vez mais – as marcas e criadores de conteúdo os encontre. Para 93% dos consumidores brasileiros, ao menos uma forma de personalização já é válida para definir uma compra futura.

O nome dessa mágica é CURADORIA, e ela não está apenas na decisão de qual conteúdo mostrar, mas também na escolha de que tipo de conteúdo criar e para quem. O Facebook diz que é por esse motivo que estão investindo em produtos que empoderem pessoas e negócios a se expressar e se conectar das diferentes formas que preferirem. 

Como o facebook está fazendo as redes e comunidades se desenvolverem?

Impulsione com o Facebook

O Impulsione com o Facebook é um programa de desenvolvimento de micro e pequenas empresas, que reúne a comunidade empreendedora para oportunidades de conexão e acesso a conteúdos que terão um impacto nos seus negócios.

Saiba mais: https://www.facebook.com/business/news/ferramentas-para-pequenos-negcios-crescerem-no-facebook

Estação Hack

A Estação Hack, no Brasil, é o primeiro centro de suporte à inovação do Facebook no mundo e um espaço para jovens adultos e empreendedores desenvolverem suas habilidades e negócios na economia digital.

Saiba mais: https://about.fb.com/br/news/2019/01/estacao-hack-do-facebook-capacita-mais-de-12-mil-brasileiros-em-um-ano-e-traz-novidades-para-2019/

InstaMarket

O InstaMarket, feira de pequenas e médias empresas do Instagram, reúne jovens empreendedores para mostrar seu processo criativo, vender produtos, participar de workshops e oferecer mentoria.

#ElaFazHistória

A iniciativa #ElaFazHistória conecta mulheres empreendedoras, com foco em fornecer ferramentas e condições para facilitar o networking, a mentoria e a construção de conexões entre as mulheres nos negócios.

Saiba mais: https://www.facebook.com/elafazhistoria/

Talvez você não tenha percebido, mas o que o Facebook está fazendo é transformar as pequenas comunidades em produtos e estratégias para manter as pessoas dentro da rede social, e pensar no Facebook como uma ferramenta macro, e não uma mera rede social para estar.

Como aproveitar esta mesma proposta de Curadoria para sua marca?

O primeiro ponto é olhar para dentro da sua empresa e avaliar onde pequenas comunidades estão sendo criadas mesmo sem a sua orientação ou supervisão enquanto marca. Perceba: elas podem ser os primeiros fomentadores do seu negócio. 

Um bom exemplo é o que a Antix faz. Os apaixonados por ela se reúnem, com ou sem a companhia da empresa, para se aproximarem, pois têm um mesmo objetivo em comum: a marca. 

Imagina se você consegue aproveitar a conversa que está rolando sobre você, trazer a responsabilidade para dentro da sua empresa e começar a transformar sua marca em pequenas comunidades? 

Conta pra gente: você conhece outras empresas que estão criando pequenas comunidades por aí e usando as mídias para conectá-las? 


Compartilhe esse conteúdo:

Categorias:

Últimos Posts

Receba nossas novidades