fbpx
Como definir a identidade visual de uma empresa no ambiente digital?

Como definir a identidade visual de uma empresa no ambiente digital?

Uma das melhores sensações e alegrias de quem trabalha com marketing digital, é a conquista de um novo cliente. Assim como em qualquer outra empresa que presta serviços,  aqui na OCA COMUNICA cada conta conquistada é um novo caminho que trilhamos, unindo sempre a expectativa do cliente e nosso conhecimento. Além das estratégias do conteúdo em si, definir uma Identidade Visual que traduza a mensagem correta, é de suma importância para que o projeto tenha sucesso. 

Então, para que a nova comunicação atinja os resultados esperados e que o cliente final entenda a mensagem que queremos passar, a OCA utiliza alguns passos para construir a Identidade Visual de um novo cliente. Abaixo, listamos o nosso processo de trabalho na parte visual, e incluímos alguns exemplos práticos que já fazemos para os clientes que temos hoje na agência. 

REUNIÃO DE BRIEFING

Depois da jornada de conquista de uma nova conta, que vai desde a prospecção até a assinatura do contrato, temos uma reunião com o cliente, onde definimos as diretrizes do projeto. É nessa reunião onde criamos o briefing, documento este que norteia toda a comunicação que será criada, e principalmente a Identidade Visual. Nele, estão contidas informações sobre a empresa do cliente, expectativas sobre o projeto, além da Identidade Visual vigente. No caso, nesta última parte, é possível ver o histórico de visuais criados pela marca, além das cores institucionais e aquelas que poderão ser usadas, sem fugir do perfil já existente do cliente.

ESTRATÉGIAS

Com o briefing em mãos e depois de uma boa conversa com o cliente, é hora de criarmos as estratégias que vão definir o andamento do projeto. É aqui em que a parte funcional do projeto se inicia, e onde a parte de conteúdo começa a se desenvolver. São as estratégias de conteúdo e venda que farão com que a Identidade Visual torne-se sólida e única, sendo criada na fase a seguir, a fase dos Formatos. 

FORMATO

Seja para uma Rede Social ou para um E-mail Marketing, é muito importante definir os formatos corretos e que se ajustam nas diretrizes de cada ferramenta. No Facebook, por exemplo, são aceitos diversos formatos, mas dois deles se encaixam melhor no Feed de Notícias: o quadrado, geralmente com 800×800 pixels; e o retangular, com 1000×1300 pixels. 

O uso desses dois formatos depende do que será comunicado. Geralmente, posts que contenham apenas imagens e texto, com o intuito de comunicar algo institucional, e mais voltado para o visual, podem ser facilmente traduzidos em um formato quadrado, o mais comum nas redes sociais. Este é o caso da maioria dos nossos clientes, cuja mensagem sempre visa o conteúdo antes da forma ou do apelo comercial. 

Os formatos retangulares se dão bem quando existem informações que necessitam estar no layout, e não apenas no campo de texto que acompanha a publicação. Aqui na agência, temos casos de clientes que optam pela divulgação de roteiros de viagens, por exemplo, no próprio layout, além das informações sobre valores, formas de pagamento etc. Então, o uso do post mais “alongado” é útil, pois possibilita a inserção de mais texto no layout, além da imagem, mas que não cause um aspecto de “informação excessiva”. Neste caso, é preciso estar atento apenas com a quantidade de texto inserido, pois as diretrizes do Facebook permitem apenas 20% do layout, em texto.

APELOS E IMAGENS

Assim como no tópico anterior, os apelos se relacionam muito com o intuito da mensagem que queremos passar para o cliente final de uma marca. É nas etapas de Briefing e das Estratégias em que o tipo de comunicação é definido e, vez por outra, é possível mesclar alguns deles. Os apelos mais comuns são o Emocional e o Comercial, que norteiam o ritmo da comunicação. 

Para que isso seja traduzido no layout, nós buscamos sempre imagens e textos que possam posicionar o público-alvo / persona, sobre a mensagem que queremos passar. É comum com alguns clientes aqui da OCA que a identidade Visual tenha apoio de imagens mais emotivas, como no caso de um restaurante, em uma postagem sobre almoço em família. O uso de uma imagem que contenha uma família alegre, descontraída e que, se possível, esteja almoçando em um restaurante parecido com o estabelecimento do nosso cliente – é sempre uma boa escolha – principalmente quando não há produção de fotos. Nossos clientes contam com um banco de imagens profissional para auxiliar na criação de conteúdo.

Por outro lado, o apelo comercial pede que sejam colocados no layout elementos que façam o cliente final se sentir impelido a adquirir o produto ou serviço que estamos divulgando. Voltando ao caso das agências de turismo, além dos textos com as informações sobre os roteiros e as condições de pagamento, é importante que a Identidade Visual contenha imagens e cores relacionadas ao destino. Isso desperta o interesse do cliente final – ao ver a imagem – e faz com que ele sinta vontade de comprar a viagem que publicamos. 

É importante frisar que o uso de imagens fiéis à realidade tem um peso muito valioso para o público que se está querendo atingir. Na foto de família, por exemplo, é importante colocarmos uma imagem com pessoas próximas a nossa realidade, do que preferir fotos com famílias “americanizadas”. Para as agências de viagem, inserir fotos dos locais por onde a viagem passará é uma ótima saída, ao invés da inserção de lugares mais genéricos do destino. 

FONTES E CORES

O texto dentro de um layout é uma informação que precisa ser concisa e apresentar uma chamada estratégica, para que atenção se volte a ele e a imagem que foi escolhida especialmente para transmitir a ideia. Entenda aqui que uma postagem se baseia em imagem + texto, onde o visual atrativo está sob responsabilidade do primeiro elemento, ou seja, dá imagem. O texto então, neste caso, surge como apoio à foto, e precisa ser destacado e atrair a atenção. O uso de fontes que traduzam a Identidade Visual criada para um cliente é uma ótima opção. 

Uma empresa que faz viagens para lugares históricos (como no caso de um de nossos clientes), pode contar com imagens dos roteiros, como dito no tópico acima, e o texto no layout pode mesclar fontes sem serifas e aquelas manuscritas. Fontes que não contenham serifas (aquelas “hastes” nos finais das letras) dão um ar mais moderno ao layout e, as fontes manuscritas (que parecem feitas à mão), podem significar a liberdade e personalidade, coisas essas que um roteiro histórico podem trazer durante uma viagem. 

Outro elemento que ajuda na caracterização de uma Identidade Visual, é a cor. Nos layouts produzidos na OCA COMUNICA, a preocupação com cor está presente desde o início da estratégica de comunicação de cada conta. Geralmente, as cores usadas se baseiam na comunicação institucional dos nossos clientes e nas variações que combinem com o layout que será criado. Ainda no caso do nosso cliente perito em viagens de cunho histórico e sagrado, o uso da cor Marrom e Caramelo traduz a ideia de algo secretado pelo tempo. Outro cliente, porém, utiliza as cores Azul e Branca em sua comunicação, por se tratar de um hospital que cuida da saúde dos olhos. Essas cores estão relacionadas à área da Saúde por transmitirem serenidade, conforto e tranquilidade. 

Por fim, criar uma Identidade Visual para um cliente novo, além de ser prazeroso, exige muito conhecimento e pesquisa, para que a mensagem seja comunicada corretamente. Se você, que está lendo este texto, acredita que a sua comunicação pode ser melhor, conte com a OCA COMUNICA. Nosso time é especialista nas estratégias de Marketing Digital e pode fazer com que a sua marca tenha muito mais sucesso. 

Como sua empresa pode vender melhor usando o Marketplace do Facebook?

Como sua empresa pode vender melhor usando o Marketplace do Facebook?

Milhares de pessoas têm o hábito de usar os Grupos do Facebook para oferecer produtos e serviços. Basta uma busca rápida para encontrar diversos grupos voltados para venda. Mas você já ouviu falar do Marketplace?

Esse recurso nada mais é que uma loja dentro do Facebook. Você encontra uma variedade de produtos e serviços que são publicados e vendidos pelos próprios usuários.

As empresas podem usar o Marketplace para:
– Mostrar um grande inventário de itens de varejo, aluguéis de imóveis e veículos trabalhando com um parceiro de classificados* do Marketplace.
– Anunciar sua Loja ou seus itens no Marketplace para alcançar mais pessoas, mesmo que sua empresa não publique diretamente no Marketplace.

*Parceiro de classificados: Um vendedor precisa ter uma conta pessoal para ingressar no Marketplace, pois uma página só consegue postar pela loja.

Separei um passo a passo para você começar a publicar seus produtos e serviços no Marketplace: 

1. Conecte-se ao Facebook e acesse a opção Marketplace. 

2. Em seguida, acesse a opção “+ Vender um item”.

3. Um pop-up irá abrir. Selecione o que você irá anunciar: Item para venda, Veículo para venda ou Imóvel para locação.

4. Após selecionar, insira as informações iniciais do seu produto ou serviço.

5. Escolha a categoria em que seu produto ou serviço se encaixa. São várias opções que irão ajudar o comprador encontrar o seu item.

6. Depois de escolher a categoria, você precisará escrever uma descrição para informar não só os detalhes do produto mas também as formas de pagamento e entrega. Quanto melhor a descrição mais fácil será a negociação. Faça o upload das fotos do seu produto.

7. Clique em “Publicar” e seu item estará na “vitrine” do Marketplace, pronto para venda!

8. Assim que você vender seu produto, vá até o Marketplace, clique em “Venda” e marque seu produto como vendido.

As negociações são feitas pelo Messenger. A pessoa que se interessar irá abrir uma conversa com você para fecharem a venda. O Facebook não cobra nada para publicar seus produtos e nenhuma transação financeira é feita dentro da rede social (por enquanto).

Vale ressaltar que alguns itens NÃO podem ser vendidos. Todos os classificados devem cumprir a Política Comercial do Facebook, que listam o que pode ser vendido ou não (https://www.facebook.com/policies/commerce#) e os Padrões da Comunidade do Facebook, como imagens e descrição (https://www.facebook.com/communitystandards/).

Agora que você e sua empresa já sabem como vender no Marketplace separei umas dicas de como melhorar sua venda e se destacar entre todos os que estão anunciando:

– Tire fotos com alta qualidade, que   valorize cada mínimo detalhe do produto e também em várias posições.
– Quanto melhor a descrição, mais fácil gerar o interesse pelo produto e a negociação será mais rápida. 
– Manter seus produtos sempre atualizados e sinalizados se foram vendidos ou não. 

Com estas dicas, suas vendas podem ser potencializadas. Mas lembre-se: o marketplace precisa da mesma responsabilidade de um pequeno e-commerce, pois você está tratando da reputação da sua marca e do atendimento com seus clientes! Se você já utiliza o marketplace do facebook para vender produtos online, deixe seu comentário!


Inovação e negócios: como promover a inovação para solução de problemas?

Inovação e negócios: como promover a inovação para solução de problemas?

Eu estava conversando com um amigo muito querido que abriu uma imobiliária sobre o que pode acontecer no futuro com as imobiliárias. Casas construídas com impressoras 3D, compra de imóveis sendo feita 100% pela internet e sem a presença de um corretor, por exemplo, são algumas das possibilidades que já acontecem e podem ganhar escala.

Um outro amigo é dono de uma concessionária. Outro dia ele me disse que já existe uma concessionária que não tem vendedores, mas um sistema complexo e automático que, de acordo com o gosto previamente imputados em um sistema, o próprio estabelecimento é capaz de trazer o carro ideal para o perfil do cliente que entra na loja. 

Se eu continuar pensando em momentos que li algo inovador ou compartilhei experiências com alguém sobre inovação, este post terá apenas exemplos. Mas, o que eu quero mostrar neste blog hoje é como você pode inovar além dessas ideias que custam muito esforço, automações, tecnologia e – claro – investimento. E, no decorrer desse texto, você vai compreender porquê é necessário inovar no seu negócio – seja ele pequeno, médio, grande – ou até mesmo a sua carreira. 


Mas na realidade, o que é inovação?

Na concepção mais clara da palavra, inovar é trazer para a prática, novas ideias que solucionem problemas ou melhorem processos. Isso pode acontecer de uma forma muito ampla, como nos exemplos citados acima, ou através de atitudes simples, como acontece na Seguradora Porto Seguro, que premia seus colaboradores socorristas que trazem boas ideias para melhoria dos seus serviços. 

Este assunto, inclusive, nos leva ao próximo assunto: Por onde começar?

O primeiro passo é levantar informações para responder duas questões: existe algum problema no seu negócio que ao ser solucionado pode trazer melhorias diversas? Essas melhorias, inclusive, não necessariamente precisam impactar diretamente na lucratividade, mas talvez na produtividade, na comunicação, na motivação dos colaboradores etc. A segunda pergunta é: existe algum processo que, apesar de funcional, pode ser otimizado? Com a resposta dessas duas questões, partimos para a próxima etapa.

Como encontrar as respostas certas?

O segredo está em fazer as perguntas corretas. Isso porque não existe uma só resposta ou apenas um caminho para solução. De fato, precisa ser implantado na cultura da sua empresa o olhar crítico, a curiosidade e a atenção ao que está acontecendo. E, assim como no exemplo da Porto Seguro, a resposta para solucionar um problema pode estar na cabeça de algum colaborador. Então, com certeza uma das possibilidades é melhorar o canal de comunicação entre as pessoas que estão envolvidas nos processos que precisam de melhorias. 

Outra possibilidade é informar-se, sempre. Observando as notícias, a concorrência, participando de eventos, seminários, cursos e fazendo network, você amplia sua capacidade de respostas, pois está conectado com muitas outras fontes de informação. 

A terceira possibilidade é promovendo a diversidade na sua empresa. Imagine se todas as pessoas dentro de um departamento forem exatamente iguais: mesma idade, mesmo sexo, mesmo estilo, mesmo gosto pessoal, mesmo histórico de vida, mesma experiência. Se você perguntar algo a eles, certamente terão a mesma resposta também. Então, para respostas diferentes, pessoas diferentes. 

E como aplicar a ideia com o mínimo esforço e o máximo impacto?

Algumas dessas atividades são rotineiras, e uma vez observadas podem ser aplicadas de forma simples. Porém, outras, podem precisar de um pouco mais de investimento para que seja possível ver resultados. O desafio é verificar quais são as ideias possíveis de ser aplicadas utilizando algumas das metodologias bastante comuns hoje em dia: MVP: Mínimo produto viável (eu já falei sobre ele em um post lá no Instagram!) https://www.instagram.com/ocacomunica/ Ou o Growth Hacking, que é uma estratégia de marketing orientada a experimentos. Na essência, é um método de pensamento que visa encontrar brechas, passíveis de testes, que podem trazer resultados excepcionais. É bastante complexo falar deste assunto num mesmo post, mas podemos falar no futuro! 

Pronto para aplicar as inovações necessárias em seu negócio? 

Case – Aprenda a utilizar o Instagram para criar autoridade de marca.

Case – Aprenda a utilizar o Instagram para criar autoridade de marca.

Pior do que uma empresa que não faz nada que pode ser mostrado é uma empresa que não mostra nada, apesar de ter muitas ações acontecendo. Se você está passando por essa fase, e entende que existe a necessidade de mostrar tudo o que acontece na sua empresa para criar autoridade, leia este post até o final!

A Caprice Turismo é a empresa que mais leva turistas católicos brasileiros para a Terra Santa. O desafio deles era tornar essa informação cada vez mais próxima dos seus prospects, e mostrar o quanto o seu Diretor é autoridade no assunto “Terra Santa”.

O segundo desafio da Caprice Turismo é começar a trazer a autoridade que antes era somente do Diretor, para toda a empresa, afinal, ele já não pode estar em todas as viagens. Decidiram trabalhar com planejamento estratégico no gerenciamento de suas mídias sociais, o meio mais eficaz de tornar a Caprice autoridade neste nicho de mercado.

Certo, mas como organizar o processo de criação de conteúdo?

A empresa já tirava muitas fotos – afinal, seus clientes querem salvar todos os momentos da viagem – e quem não visitou esses pontos turísticos está louco para ver as novidades! Por este motivo, se faz muito necessário criar um processo de comunicação eficaz, onde o cliente entrega todos os dados importantes e nós – enquanto agência digital – transformamos estes dados em informação para os seguidores – seja no Instagram, Facebook ou Youtube.

Nesta hora, você me pergunta: Mas meu produto / serviço não está relacionado a área de turismo, preciso investir no Instagram mesmo assim?

Eu respondo sua pergunta com outra: O apelo visual é importante para a sua empresa? De repente, a mídia social pode mudar, mas o processo de captação da informação ainda é o mesmo. O cliente possui todos os dados, mas pode não saber ao certo onde aquela foto ou informação será melhor aproveitada. É nesse momento que é necessário poder contar com a consultoria de uma agência digital.

Organicamente, estamos criando autoridade de marca para o nosso cliente utilizando apenas algumas estratégias muito bem definidas e alinhadas, antes de ganhar escala: aproveitar 100% toda informação que o cliente envia em todos os meios possíveis.

Durante este processo, os leads vão criando consciência de que a Caprice Turismo (e não somente o seu diretor) é a empresa ideal para levá-lo para as viagens históricas e culturais.

Como você também pode fazer sua empresa ganhar autoridade nas Mídias Sociais?

1 – Olhe para o seu negócio e anote os motivos claros que fazem sua empresa ser autoridade naquele assunto, ainda que ainda não esteja visível para seus seguidores. Seus colaboradores são os mais treinados? Eles possuem certificações ou fazem cursos com frequência? Ou talvez as suas instalações sejam as mais modernas, trazendo mais conforto para seus clientes? Anote tudo isso, pois será útil no futuro!

2 – Atente-se ao cotidiano. O público no Instagram gosta do que acontece na rotina da empresa e que seja verdadeiro. Então, se você está fazendo uma reunião importante com sua equipe de vendas, porque não tirar uma foto e postar nos stories?

3 – Crie periodicidade. Nessa hora, o apoio de uma agência digital é fundamental. Eles estarão dedicados a criar conteúdo quando o mesmo não vem direto do cliente e a cadência é um dos melhores “segredos” para o sucesso no Instagram.

4 – Utilize a ferramenta corretamente: para se tornar autoridade, é preciso ser encontrado. Sem bots ou compra de perfis, você pode criar uma boa audiência criando conteúdo de qualidade atrelada as hashtags, localizações, parcerias, menções de outros perfis etc.

5 – Avalie os resultados. Organicamente, o resultado vem aos poucos, e para não desanimar é preciso estar sempre de olho nas pequenas vitórias – aumento de comentários, visitas ao site, compartilhamentos nos stories – são algumas das métricas interessantes para avaliar (e não somente as curtidas no post e novos seguidores).

Conte pra gente como você faz para criar autoridade da sua marca? Vamos trocar experiências!

Lançamos o nosso primeiro Podcast! OCACast #001

Lançamos o nosso primeiro Podcast! OCACast #001

Bom dia, boa tarde, boa noite para você que está lendo este post no blog! É falando sobre podcast que iniciamos o assunto que vai mexer nas estruturas da sua forma de ver o mundo do empreendedorismo. O OCACast é um podcast feito por jovens empreendedores para jovens empreendedores! 

Ainda temos muito para falar sobre esse novo formato, e a melhor forma de conferir tudo isso é nos ouvindo! Acesse o nosso canal no Youtube e confira! Aproveite para se inscrever em nosso canal e ativar as notificações! 

UX Design e Inbound Marketing: estratégias para vender mais

UX Design e Inbound Marketing: estratégias para vender mais

Muito se fala hoje em dia sobre priorizar a experiência do usuário dentro do Marketing Digital. Designers preocupam-se cada vez mais em tornar a usabilidade da ferramenta que estão desenvolvendo – seja um layout de site, uma página de blog, até um post nas mídias sociais – em algo atrativo e fácil de usar, pensando exclusivamente no usuário final.

O UX Design (User Experience Design, com tradução literal para o português de “Design da Experiência do Usuário”), é uma ferramenta e forma de pensar, adotada por programadores e designers, a fim de tornar a execução das plataformas, como sites, o mais fácil e intuitivo possível, para aqueles que irão usá-las. Essa ferramenta acompanha os caminhos percorridos pelos usuários de uma página da internet, por exemplo, explorando quais gatilhos inseridos nela são mais atrativos, além de atentar-se às áreas em que os usuários mais prestam atenção, quais páginas mais visitam, etc.

Sendo assim, por ser uma ferramenta extremamente importante para a atração e retenção de clientes, o UX Design pode ser amplamente aplicado junto da estratégia de Inbound Marketing. Mas como?

UX Design e Inbound Marketing

Essas duas estratégias partilham de uma gama de características, e se assemelham em um ponto comum, crucial para o sucesso de suas implementações: o usuário final. Assim como a técnica de Design Thinking (entenda mais sobre esta técnica, clicando aqui ), o UX Design e o Inbound Marketing preocupam-se em atender a demanda do consumidor final, pensando especificamente nas suas necessidades.

Além disso, as duas ferramentas procuram entender toda a jornada percorrida por um cliente, – desde a descoberta de um problema até a compra de um produto ou serviço como a solução – surgindo em momentos oportunos da jornada e mantendo-se presentes, para que o usuário seja sempre lembrado que dado produto pode solucionar seus problemas, de fato.

O Inbound Marketing, por exemplo, tem como objetivo solucionar as dores de um usuário, denominado Persona. Este usuário é a idealização do cliente perfeito para o seu negócio, é nele que se mantém todos os pilares que serão seguidos, dentro da jornada do Inbound Marketing. Não diferente da ferramenta acima, o UX Design define pontos dentro de um layout, que deverão chamar a atenção para o usuário final da plataforma, promovendo a compra certeira do que você pretende vender.

Listamos algumas ferramentas do Inbound Marketing que podem aproveitar e atrelar os conceitos de UX Design, para que a sua marca possa vender mais:

Estratégias de Inbound Marketing, com UX Design aplicado

1- Landing Pages que convertem (e muito!)

Landing Page é uma página que o usuário acessa para deixar seu cadastro em troca de algo. Seja um e-book, um vídeo com um conteúdo exclusivo ou um download de material antes de outros usuários, a Landing Page é uma ferramenta de conversão. O usuário que acessa esta página se torna um lead e, para isso, é preciso que ela seja, no mínimo, atrativa.

Usar cores que esta ligadas ao perfil de cliente desejado (lembra da Persona?) é um passo muito importante a se tomar, na hora de montar o layout de uma página de cadastro.

Além disso, algumas landing pages têm a opção de inserir imagens de fundo, para que o layout fique o mais humanizado possível. Esta é uma ferramenta ideal para que o perfil de usuário seja estampado, criando uma identificação ainda maior. Caso sua persona seja uma mulher empreendedora, que goste de viajar, uma imagem que apresenta este perfil pode aumentar as chances de conversão dos usuários.

Por último e não menos importante, destaque os botões dos formulários de cadastro! Esta ferramenta, presente tanto nas Landing Pages quanto nos E-mails Marketing, DEVE atrair a atenção e fazer com que o usuário converta. Assim, o botão deve ter uma cor diferente da escolhida para o fundo da página, destacando-se do restante do layout.

2- E-mail Marketing com cara de Caixa de Entrada (e não Spam)

Muitas empresas enfrentam um grande problema quando se trata de e-mail marketing: o terrível destino de parar em uma caixa de spam, quanto todos os esforços prestados foram para que a mensagem estivesse presente nas Caixas de Entrada.

Um erro comum que muitas empresas cometem é inserir diversas imagens nos e-mails, e não balancear estas com textos. É preciso saber que alguns servidores de e-mails não comportam mensagem com conteúdo muito pesado, e acabam por determinar que e-mails que contenham essas características podem ser enviados direto para a lixeira.

Para que seus e-mails não sofram esse cruel destino, atente-se na quantidade de imagem que você está inserindo. Opte por uma mensagem que contenha um nível balanceado de figuras e partes escritas, para que o usuário entenda o que você quer dizer e faça as ações que o e-mail propõe, além de poder se identificar com as imagens presentes no corpo da mensagem.

Assim como as Landing Pages descritas acima, o E-mail Marketing dispõe de botões para que ações de conversão sejam feitas através deles. Lembre-se: um e-mail marketing é uma ferramenta muito importante dentro do Inbound Marketing, e todas as ações feitas dentro dele somam pontos para cada usuário. Portanto, insira botões que se destacam do restante da mensagem que você enviou, para que o usuário execute a ação que você propõe. Não se esqueça de deixar bem claro o que você espera dele neste e-mail, e faça com que ele, de fato, clique no botão inserido e, mais uma vez, converta!

3- Pop-Ups no seu site: um (último mas necessário) truque na manga

Como dito anteriormente, o UX Design é uma ferramenta que designer utilizam na criação de sites. Através dela, é possível entender os caminhos percorridos por um usuário em uma página da internet. E é claro que o site da sua empresa não poderia ficar sem uma outra importante ferramenta de conversão do Inbound Marketing: o Pop-Up.

Conhecido como “janelas que aparecem quando o usuário está deixando um site”, por exemplo, o Pop-Up trabalha justamente com este elemento surpresa, como seu aliado. A ideia da ferramenta é surpreender o usuário e, geralmente, o Pop-Up é programado para aparecer quando o usuário está prestes a fechar a janela em que seu site está aberto.

Assim, para que a surpresa seja o mais efetivo possível, o Pop-up deve ter visual pensado na ação que propõe (um cadastro para orçamento, o download de material etc) e conter botões destacados e chamativos para que a ação seja efetuada. Você pode fazer com que eles apareçam apenas na situação acima apontada ou, também, pode fazer com que ele surja em todas as páginas que o usuário visitar, além de também dispor de Pop-Ups diferentes, de acordo com o conteúdo mostrado nas páginas. Mas lembre-se: não seja invasivo, insistente e preze sempre pela experiência do seu usuário.

Assim, com o UX Design e o Inbound Marketing à sua disposição, você pode fazer com que o seu usuário final tenha mais prazer ao visitar os materiais que sua empresa fornece, além de converter-se nas páginas que você disponibiliza.

Somos especialistas em Inbound Marketing e utilizamos o UX Design como conceito para a atração, conversão e retenção de leads, para que a sua empresa tenha sucesso nas vendas. Entre em contato conosco para saber mais!