Como a LGPD impacta o Marketing Digital?

Sua caixa de entrada não será mais a mesma!
Receba os conteúdos mais recentes e fresquinhos da OCA Comunica, direto no seu e-mail

A LGPD, desde quando foi anunciada até agora, depois de entrar em vigor, continua levantando diversas dúvidas, preocupações e incertezas nas mais diversas áreas de atuação.

A primeira coisa a se saber é que a LGPD afeta a todos, independente de você ser um empreendedor querendo saber como abrir um banco digital ou um usuário de redes sociais ativamente gravando vídeos caseiros e compartilhando com seus amigos.

O tema é amplo, mas nesse post vamos resumir os principais impactos da Lei Geral de Proteção de Dados quando se trata do impacto no Marketing Digital: o que muda para as empresas ou profissionais da área? Veja!

O que é LGPD?

A Lei Geral de Proteção de Dados é um conjunto de regras que visa regulamentar e proteger a privacidade e informações dos usuários na internet. 

Essa lei entrou em vigor em 18 de setembro de 2020 e trouxe diversas mudanças para que sejam realizadas boas práticas em relação à segurança de dados na internet.

A partir dela, as empresas devem mudar todas as políticas que ainda não estejam de acordo com as regras de coleta, armazenamento, tratamento e compartilhamento de dados pessoais.

Quais são os principais dados afetados pela LGPD?

Entre os principais dados afetados, deve-se considerar toda informação que permita identificar uma pessoa de forma direta ou indiretamente, como nome, RG, CPF, data e local de nascimento, telefone, endereço residencial, localização via GPS, cartão bancário, endereço de IP etc.

Como a LGPD afeta o marketing digital?

De modo geral, o principal impacto é que agora, obrigatoriamente, todas as empresas e profissionais que realizam ações e estratégias de marketing digital precisam seguir regras e boas práticas em relação ao tratamento de dados pessoais dos usuários.

Por exemplo, as estratégias de conversão de leads normalmente parte de um cadastro do usuário para receber um material específico, como um conteúdo exclusivo ou um desconto.

Com a lei, essas estratégias precisam ser ainda mais transparentes para que o usuário tenha acesso ao que a empresa está coletando de dados, qual a finalidade e se ele está ciente e concorda com isso.

Alguns outros pontos que podemos destacar é que o marketing digital precisa:

  • Sempre obter a autorização dos clientes para utilizar seus dados;
  • Repensar suas estratégias de acordo com as regras da lei;
  • Reavaliar as soluções contratadas pelos clientes e ter a confirmação de que os fornecedores estão alinhados com a LGPD;
  • Oferecer opções para que o cliente consiga sair ou tirar suas informações de sua base de dados, como o cancelamento de inscrição no e-mail marketing;
  • Permitir que o cliente tenha autonomia e controle na decisão de como como os dados serão utilizados.

Como as empresas devem se preparar para essa mudança?

Como a LGPD entrou em vigor há quase um ano, é de extrema importância que as empresas que ainda não se adaptaram procurem correr atrás das mudanças. Isso é essencial para evitar problemas legais e processos.

Além do conhecimento de tudo que está descrito no texto da lei, é importante que as empresas busquem ter iniciativa empreendedora também nesse momento.

Algumas estratégias como escolher uma agência especializada, elaborar uma política de consentimento e privacidade, ter uma excelente assessoria jurídica, ter criatividade e cuidado com todos os princípios da LGPD podem fazer a empresa contornar as mudanças que a lei trouxe.

Afinal, ela veio para favorecer os usuários e consumidores e sua empresa precisa se adaptar.

Principais atividades no marketing digital que serão impactadas:

Com a LGPD em vigor, diversas áreas do marketing digital foram impactadas e tiveram de ser repensadas. Isso porque as empresas faliram por falta de inovação. E quando o assunto é Lei, mudanças precisam ser feitas, como as listadas a seguir:

#1 E-mail Marketing

Em relação ao trabalho de e-mail marketing, o principal impacto é o cuidado extra em garantir que o usuário aceite a permissão para receber ações de marketing. 

Essa mudança favorece muito o usuário e evita o incomodo de ter a caixa de e-mail lotada de SPAM ou e-mails no qual o usuário não se inscreveu.

#2 Política de Privacidade

Outra mudança é no processo de deixar mais transparente qual a política de privacidade de cada marca ou site, para que o usuário ou cliente consiga ter acesso aos dados que o site tem acesso e a finalidade. 

Nessa política, além do esclarecimento, deve ter informações de acesso, solicitação de exclusão, transferência e limitação. 

#3 Segurança

Além do impacto direto no marketing digital, a lei também afeta a área de atuação de profissionais da segurança da informação. 

Nesse caso, a lei orienta quais são as medidas técnicas ou administrativas que devem ser tomadas para proteção de dados.

#4 Segmentação da Base de Leads

A segmentação de base de leads, está diretamente ligada com as ações de e-mail marketing e campanhas pagas, por exemplo, pois é uma área do marketing digital que mapeia os clientes potenciais para conseguir engajar a marca e conseguir conversão. 

Com a lei, a diferença é que para isso a empresa precisa ter um processo mais rigoroso e correto para não violar a lei, que protege o cidadão diante de situações em que suas informações estão sendo usadas sem consentimento.

Assim, vale avaliar sua estratégia de Inbound Marketing e Outbound Marketing, para ter certeza que está tomando ações corretas e efetivas.

#5 Remarketing

No remarketing, a ideia é conseguir reconquistar ou resgatar um cliente que já demonstrou interesse no serviço ou produto. 

Aqui, vale o mesmo princípio que vimos acima de ter a licença do usuário para enviar novos e-mails e ter uma política de privacidade transparente. 

O facebook, por exemplo, já está aplicando uma nova regra da utilização de pixel para criação de anúncios na plataforma. 

Conclusão

A Lei Geral de Proteção de Dados é uma lei que traz diversos pontos positivos para tornar o espaço digital mais transparente e que os dados pessoais dos usuários sejam protegidos.

Portanto, ela não pode ser vista como algo negativo, mas sim uma mudança para trazer boas práticas para todas as áreas, incluindo o marketing digital e suas campanhas!

E mais, ficou com dúvidas? Consulte nosso Guia LGPD e saiba mais como a empresa pode usar sobre a Lei de Proteção de Dados.

Compartilhe esse conteúdo:

Categorias:

Últimos Posts

Receba nossas novidades